Uma pessoa é assaltada em Teresina a cada 20 minutos

De : Thales Melo | Em : 06 de Set de 2017

r3.png

São 65% de roubos, 19% de violência doméstica e 11% trânsito.

Autor: Luciano Coelho

Em Teresina, houve um crescimento de 12,3% no número de roubos. Em 2015 foram registrados 19.981 roubos e em 2016 foram 22.431. O crescimento foi de 2.450 roubos no ano. Na capital, uma pessoa é assaltada a cada 20 minutos.    

Foto/Reprodução 
              

Em dados divulgados pela Associação dos Oficiais Militares do Estado do Piauí (Amepi), Teresina registrou um aumento de 1.658 casos entre os anos de 2014 e 2015. De 2015 para 2016, esse número aumentou saltou para 2.450 roubos.

Segundo o levantamento, a taxa de roubos na capital é de 2.922 roubos para cada 100 mil habitantes. O percentual de insegurança subiu de 8,3% para 12,3%. E os dados levam em consideração as ocorrências registradas. O que não tem registro, fica de fora da estatística.
Nas notas metodológicas, a fonte das informações são os boletins de ocorrências da Polícia Civil levantados até 9 de janeiro de 2017.

As categorias de crimes apontados em Teresina em 2016 chamam atenção nas ocorrências de roubo que chegam a 65%. Os crimes de violência contra a mulher chegam a 19% e os crimes de transito têm índice de 11%.

Os demais crimes como porte ou tráfico de entorpecentes são 2%. Crime de porte de arma de fogo 1% e de estupro também é de 1%. Esse mesmo percentual é o de crimes violentos letais intencionais (crimes contra a vida).

População diz que segurança é péssima e teme assaltos

Numa pesquisa de ponto de fluxo realizada pelo instituto DataPovo, aponta que um dos principais problemas reclamados pela população é a falta de segurança. Antes, as pessoas tinham medo de morte ou homicídio. Agora, a maioria se reclama de assaltos.

O DataPovo ouviu 450 pessoas entre os dias 25 e 26 de agosto, e quase 5% delas disseram que a solução para o Governo do Estado seria um candidato mais comprometido com as questões de segurança.  Mas 7.3% consideram a segurança pública como péssima. Desse total, 45,4% acham que o principal problema, ou o mais temido, da segurança no Estado são os assaltos.

Dentre os pesquisados, 16,7% disseram que o mais temiam era mortes ou homicídios. 6,6% teme mais a violência ou agressões. Pelo menos 5,6% dos entrevistas condenaram tudo em relação a segurança pública.

 

Fonte: Diário do Povo

Compartilhe: